Alimentação do bebê: tudo o que você precisa saber

Veja como apresentar os alimentos sólidos ao seu filho e saiba como não errar

6-alimentos

O bebê já completou 6 meses? Oba! Hora de oferecer os primeiros alimentos sólidos para ele.

Para garantir que seu filho comece a vida com uma dieta adequada, equilibrada e saudável, confira, a seguir, as dicas de especialistas.

 Saiba esperar:

Se familiares e amigos insistirem para você oferecer papinhas ao seu filho antes do 6º mês de vida, diga não. O único alimento que ele precisa nessa fase é o leite materno, que é riquíssimo e completo.

 

Frutas para começar:

Após os 6 meses de aleitamento exclusivo no peito, acontece o contato inicial do bebê com os alimentos sólidos. A recomendação mais adotada é começar oferecendo uma fruta ao dia, raspada, amassada ou na forma de purê. Vale manga, laranja, melão, melancia, caqui, cereja… Evite apenas as que têm muitas sementinhas, como kiwi, morango e figo, porque elas são de difícil digestão nessa fase e podem causar alergia alimentar. Após um tempo, organize a rotina do bebê intercalando o leite materno com mais porções de frutas – de duas a três ao longo do dia.

Comidinha:

Introduzidas as frutas, é hora de conhecer os salgados, ainda no sexto mês de vida, sempre intercalando com as mamadas. Ofereça alimentos cozidos (que são de mais fácil digestão) e amasse com um garfo. Legumes, verduras e proteínas (carne bovina, peixe, frango ou porco) são saudáveis e importantíssimas. No 7º mês, a comida já deve ter pedacinhos que a criança consiga “mastigar”.  A consistência deve mudar gradativamente ao longo dos meses seguintes, de modo que, com 12 meses de vida, esteja próximo ao consumido pelo restante da família.

Tudo natural:

Lembre-se que o seu bebê precisa de alimentos frescos e saudáveis. Ele não deve consumir itens processados e industrializados, porque eles são cheios de corantes, conservantes, gordura, sal, açúcar e outros ingredientes que não fazem bem à saúde.

Muita calma:

A introdução deve ser feita gradativamente e com muita paciência. Por mais trabalhoso que seja (a criança pode “recusar alimentos”, chorar, fazer cara feia ou sujar toda a cozinha), lembre-se que tudo isso é normal. É apenas uma fase e vai passar.

Você pode oferecer os alimentos ao seu filho da forma tradicional, em uma colher pequena, ou deixar que o bebê leva a comida a boca.  Caso seja este o caso, existem algumas orientações, como:  oferecer os alimentos preferencialmente naturais em vez de preparar papinhas, optar por alimentos variados, sempre colocar a criança sentada e interagir com ela na hora das refeições.

Temperado:

Uma carta na manga que ajuda na aceitação dos alimentos é o uso moderado de de temperos como alho, cebola, azeite, salsinha e cebolinha. Eles realçam o sabor e são saudáveis para a criança.

Sem sal e açúcar:

Ao longo do primeiro ano de vida, a criança não precisa de sal e açúcar. Portanto, nem pense em adoçar as frutas ou acrescentar sal ou temperos prontos na comidinha de seu filho. Esses ingredientes mascaram o sabor real dos alimentos e ainda podem ser prejudiciais para a saúde a longo prazo, contribuindo com a obesidade e hipertensão.

Nada disso:

Fast-food, doces, refrigerantes e produtos industrializados não devem ser oferecidos por conter muita gordura e açúcar, que contribuem com o sobrepeso infantil. Além deles, outro item que não pode estar na dieta do bebê no primeiro ano de vida é o mel (que traz o risco de botulismo, doença que atinge nervos e músculos e pode até matar).

fonte: http://revistacrescer.globo.com/Bebes/Alimentacao/noticia/2017/08/alimentacao-do-bebe-ate-1-ano-tudo-o-que-voce-precisa-saber.html